HOMEM É BALEADO NA PRAIA AZUL APÓS DISCUSSÃO POR DROGAS
Crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (02) e homem de 29 anos foi atingido por um tiro no braço esquerdo

Publicado por Patrícia di Sanctis

No dia: 02/10/2017 às 09h14

Um rapaz de 29 anos foi atingido por um tiro no braço esquerdo na madrugada desta segunda-feira (02), após discussão por causa de drogas, no bairro Jardim da Mata, região da Praia Azul, em Americana.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o atentado aconteceu por volta das 2h30.  A vítima e dois adolescentes estavam em um barraco, quando aconteceu a confusão.

O rapaz de 29 anos, foi atingido por um tiro no braço esquerdo e foi encaminhado para o Hospital Municipal Waldemar Tebaldi, onde foi medicado e liberado.

Equipes da PM estiveram no local e localizaram um adolescente de 13 anos, que foi detido com quatro porções maconha. O segundo infrator envolvido na tentativa de homicídio, não foi localizado.

A ocorrência foi apresentada na Central de Polícia Judiciária (CPJ), pelos Soldados Renato e Altair.

HOMEM É BALEADO NA PRAIA AZUL APÓS DISCUSSÃO POR DROGAS
Crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (02) e homem de 29 anos foi atingido por um tiro no braço esquerdo

Publicado por Patrícia di Sanctis

No dia: 02/10/2017 às 09h14

Um rapaz de 29 anos foi atingido por um tiro no braço esquerdo na madrugada desta segunda-feira (02), após discussão por causa de drogas, no bairro Jardim da Mata, região da Praia Azul, em Americana.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o atentado aconteceu por volta das 2h30.  A vítima e dois adolescentes estavam em um barraco, quando aconteceu a confusão.

O rapaz de 29 anos, foi atingido por um tiro no braço esquerdo e foi encaminhado para o Hospital Municipal Waldemar Tebaldi, onde foi medicado e liberado.

Equipes da PM estiveram no local e localizaram um adolescente de 13 anos, que foi detido com quatro porções maconha. O segundo infrator envolvido na tentativa de homicídio, não foi localizado.

A ocorrência foi apresentada na Central de Polícia Judiciária (CPJ), pelos Soldados Renato e Altair.